combustível na construção

Como calcular o consumo de combustível na construção civil?

Em tempos complicados de crise e com a gasolina a preços elevados, é importante pensar em formas de economia, mesmo que em detalhes do dia a dia de sua empresa. No ambiente da construção civil, por exemplo, a tarefa de reduzir custos deveria estar no topo da lista de prioridades. Nesse quesito, o zelo pelo dinheiro pode estar atrelado a calcular o consumo do combustível utilizado durante a execução de uma obra.

No entanto, a questão reside na estimativa precisa e equilibrada entre o consumo de combustível do maquinário pesado que vive em locomoção e outros, estáticos, como é o caso de geradores de energia elétrica. Nada que tire o sono do empreendedor, afinal, um bom controle começa com o uso de uma planilha de orçamento de obra.

Precisa de ajuda para calcular o consumo de combustível com eficiência — e também a controlar o desperdício? Confira algumas dicas que preparamos!

Como calcular o consumo de combustível?

De maneira padronizada, nós medimos o consumo em litros por hora trabalhada (l/h). É possível analisar os valores ideais no próprio manual dos equipamentos. Mas quando não existe essa possibilidade — talvez por ter perdido o documento —, é válido estimar o consumo com base em três itens:

  1. O combustível utilizado (diesel ou gasolina);
  2. A frequência e intensidade com as quais são utilizadas o maquinário;
  3. A potência do equipamento.

Com isso — e também uma tabela de preços atualizada do combustível —, é possível prever quanto será gasto, em média, facilitando a elaboração do orçamento.

Consumo médio de combustível

Além disso, é importante considerar o quanto é gasto, em média, em cada equipamento. Assim, calcular o consumo de combustível na construção civil se torna um trabalho mais preciso a ser considerado nas planilhas, já que você terá o valor médio gasto por cada tipo de equipamento e em diferentes etapas da obra.

Tomemos como exemplo um trator: ao levar em consideração o exemplo de que esse equipamento funciona a 55% de sua capacidade ao longo do ano — em um trator com potência de 75 CV (ou 55,2 KW), o consumo médio será de 13,41 l/h. Claro que isso não traz números precisos para serem avaliados e replicados em todas as obras. Mas já serve como um eficiente direcionamento para compreender o custo médio com combustível, bem como oferecer uma perspectiva ampla. Com isso, é possível analisar medidas para reduzir o consumo ao longo de uma obra, por exemplo.

Mantenha um registro de gastos

Para se manter em competitividade, é de suma importância traçar planos com os menores custos operacionais, mas sem perder a produtividade. Os custos de combustíveis são classificados como custos operacionais, uma vez que seu consumo é medido por hora trabalhada.

Neste caso,  o ideal é registrar todos os gastos no diário de obra. Assim será possível, futuramente, comparar as informações para saber se houve variação de consumo muito grande e qual a sua causa. Essa compilação de informações é determinante para trazer mais controle à rotina de sua empresa no canteiro de obras, sendo mais um complemento para avaliar possíveis estratégias para reduzir custos.    

Tenha atenção à manutenção dos equipamentos

Se você quer calcular o consumo de combustível e ter em mãos dados confiáveis, é preciso trazer capacidade aprimorada de operação, mas sem desperdiçar recursos. Esse processo pode começar com uma boa rotina preventiva de manutenção. Do contrário, o maquinário desregulado ou distante de sua plena performance tende a consumir mais combustível, sem falar em problemas de funcionamento que podem aumentar os custos.

Fique de olho na marcha lenta

Uma boa dica para minimizar os desperdícios é desligar o equipamento, caso ele fique inativo por mais de 30 segundos, por exemplo. Além de economizar combustível, também poupa o motor de esforços desnecessários.

Já nos equipamentos eletrônicos, evite a marcha lenta por muito tempo. Como exemplo, podemos apontar as escavadeiras hidráulicas, que já vêm com um recurso conhecido como auto-idle, que automaticamente reduz a rotação do motor em casos assim. Dessa forma, não há a necessidade de usar a marcha lenta propositalmente para economizar.

Considere a qualidade do combustível

Um fator de grande relevância para o alto consumo de combustível é a própria qualidade do material utilizado. Vale a mesma máxima para um carro: combustíveis adulterados ou de qualidade inferior podem se traduzir em ineficiência, além de não produzir a potência adequada.

Nessas condições, “o barato pode sair caro”. Vale observar, também, que o combustível passa a perder suas propriedades originais cerca de 30 dias após o início de seu uso, o que tende a reduzir a eficiência do maquinário.

Lembre-se do limite de desempenho operacional

Máquinas pesadas são feitas para executar serviços específicos. Para cada máquina, existe um limite de desempenho operacional.

Não é recomendável fazer trabalhos que exijam mais do que o fabricante pensou no projeto. Cargas excessivas, adição de contrapesos, alteração das pressões, vazões hidráulicas, dentre outros, alteram o desempenho geral e elevam o consumo de combustível.

Conheça a diferença entre motores

Se a sua empresa utiliza máquinas com motores mecânicos ou eletrônicos, é importante que você tenha conhecimento dos dois. Assim, você garantirá que os rendimentos e os gastos estejam alinhados com sua planilha orçamentária, já que eles possuem funcionalidades diferentes para o consumo do combustível.

Revise o óleo combustível

Ter conhecimento das características e condições do combustível garantirá, consideravelmente, a redução de seu consumo e ajudará no diagnóstico de eventuais problemas com a máquina.

Analise a pressão dos pneus

O seu equipamento equipado com pneus deve ser constantemente analisado, uma vez que a calibragem informada pelo fabricante deve ser  monitorada com periodicidade. Se o pneu estiver acima ou abaixo do indicado, você pode estar desperdiçando combustível por conta desse esforço extra do equipamento. Sempre consulte o Manual de Operação e Manutenção e certifique-se dos parâmetros ideais, realizando essa tarefa rápida diariamente para evitar qualquer desperdício.

Treine a sua equipe

É importante considerar que a equipe de condutores deve ter bons hábitos para manusear os equipamentos. A má condução também é responsável pelo gasto desnecessário de combustível.

Na verdade, dependendo do tamanho, a forma como o motorista opera o veículo pode aumentar em até 33% o consumo de combustível. Ensine os condutores a não acelerarem muito ou pisarem no freio muito rapidamente, porque essas práticas gastam mais gasolina (ou diesel ou etanol). Você deve incentivar as boas práticas e pode acompanhar o resultado desta mudança por meio dos quilômetros por litro usados em um determinado período de tempo.

Pense no custo das viagens

Quantas vezes seu motorista tem feito entregas ou você tem ido a reuniões com os clientes ou ao canteiro de obras? Avalie claramente esse custo, uma vez que ele pode ser adaptado por outras ações. Otimizar as rotas usando um aplicativo de GPS também pode ser uma boa opção para evitar trânsito e erros no percurso.

Outro ponto super importante é manter a velocidade dentro dos limites estabelecidos por Lei e dentro de um estudo de consumo de combustível. Isso faz muita diferença no orçamento.

Tenha cuidado com os geradores

Por fim, é importante mencionar um equipamento que não se locomove e, muitas vezes, pode até passar despercebido em suas análises para calcular o consumo de combustível: o gerador elétrico a diesel. Ele faz uso da combustão do material para gerar energia.

Seu uso é crucial, especialmente quando ocorre alguma queda de energia e a sua equipe necessita dela para manter equipamentos funcionais, permanecer em operação e produtividade, independentemente das condições ao redor. Cada equipamento possui uma potência específica e pode ser utilizado para os mais variados níveis de consumo.  Até por isso, um bom registro de usos anteriores — bem como o consumo médio — podem ajudar a identificar o quanto a sua empresa gasta de combustível para a operação e manutenção dos geradores elétricos a diesel.

Lembre-se que é importante manter o diálogo com sua equipe para colher retornos dos dois lados e coloque na ponta do lápis tudo o que pode diminuir os gastos. Utilizar um software que ajude no orçamento, no planejamento e no acompanhamento de todo esse processo faz toda a diferença.

Restou alguma dúvida ou deseja dar uma sugestão? Deixe o seu comentário e até o próximo post!

Este post foi escrito por Noventa TI