orçamento de mão de obra

Dicas de fórmulas para fazer o orçamento de mão de obra

Na confecção desse documento, o orçamento para calcular a mão de obra é uma das etapas mais importantes, pois compreende uma enorme fatia de todo o tempo produtivo de um projeto.

Com isso, é compreensível que muitos orçamentistas se vejam confusos, durante seus primeiros trabalhos, a fim de segmentar tudo em seu devido lugar e, assim, criar um bom orçamento, sem sobras ou faltas.

O que um orçamentista precisa saber para entregar um orçamento de mão de obra seguro, confiável e prático para ser seguido? Confira!

O que é mão de obra?

orçamento de mão de obraPrimeiramente, analisaremos o conceito de mão de obra no contexto da construção civil, que nada mais é do que a parte que proporcionará — direta ou indiretamente — a realização da obra em suas mais variadas etapas de produção. Justamente por essa variação ampla dentro de um cronograma de obra, é que o orçamento de mão de obra se desmembra em diferentes categorias, entre as quais você pode ver abaixo:

  • presente nos Custos Unitários Diretos dos serviços numa obra;
  • presente nos Custos Indiretos;
  • presente nas Despesas Indiretas, como um dos componentes do BDI (que são os Bonificação e Despesas Indiretas).

Assim, é importante entender onde a mão de obra se encaixa em seus projetos, para que o orçamento seja o mais detalhado e preciso possível. Assim, menos imprevistos surgirão no decorrer da obra.

Vale, entretanto, considerar primeiramente toda a terminologia por trás das ideias descritas acima. Vamos a elas? Na área de Custos, nós podemos atestar os seguintes significados:

  • custos fixos: os gastos que são invariáveis, independentemente do volume que seja produzido;
  • custos variáveis: os gastos que tendem a flexionar com base proporcional ao volume de produção;
  • custos diretos: são aqueles que podem ser apropriados de acordo com um produto ou serviço;
  • custos indiretos: também conhecidos como despesas, eles são valores incorporados às suas soluções (produtos ou serviços), tomando como base o critério de rateio.

São referências cotidianas, para calcular a mão de obra, e que fazem toda a diferença para a sua rotina, seja compilando, resolvendo os cálculos e revendo as contas.

Qual é a utilidade de fazer o orçamento de mão de obra?

O orçamento é um dos principais documentos que nortearão o projeto. Afinal, é nele que constarão os custos médios, os valores unitários e todo tipo de projeção da obra, ajudando a todas as partes envolvidas a compreenderem quanto se gasta.

Assim, é possível otimizar ao máximo esse equilíbrio entre economia, lucro e produtividade numa obra. Além disso, um orçamento de mão de obra ajuda a:

  • auxiliar na gestão de Recursos Humanos;
  • facilitar a gestão financeira da empresa;
  • permitir ajustes, novos cálculos a respeito dos custos unitários e o total gasto com mão-de-obra, seja por produto ou departamento;
  • otimizar o controle e a redução de custos na obra, mas sem perder a qualidade no serviço.

Ainda, um orçamento de mão de obra eficiente ajuda a quantificar quantas horas de trabalho serão necessárias a partir da quantidade de profissionais utilizados. Ou seja: a partir de um eficiente método de análise dos custos diretos e indiretos de sua obra!

O que deve ser levado em consideração na hora de fazê-lo?

Com base no que falávamos ao encerrar o tópico anterior, é bom levar em consideração uma série de aspectos no seu orçamento de mão de obra, para que você consiga precisar os custos da obra. Isso faz com que o valor de suas projeções cheguem mais perto no final do projeto, o que cria estimativas mais sólidas e ajuda a empresa a se desenvolver. Consequentemente, é válido acrescentar no seu orçamento os seguintes indicativos:

  • o número real de horas trabalhadas e o número-padrão de horas;
  • as horas de mão de obra direta e também os custos com mão de obra indireta.

Entretanto, vale se atentar que, para cada tipo de serviço utilizado, um padrão diferente pode ser adotado, como veremos nas diferenciações a seguir.

Diferenças e especificidades do orçamento de mão de obra

Para todo orçamento, independente do setor de atuação profissional, é importante ter ao menos três opções sobre a mesa. Nisso, é importante identificar elementos que ajudem a tomar a decisão — que não deve ser exclusivamente impactada pelo melhor valor do mercado:

Pedreiro e mestre de obra

Para esse tipo de especialização, procure saber a respeito de trabalhos anteriores da empresa, bem como a sua reputação — com relação a prazos de entrega e cumprimento do cronograma. Aqui, os resultados importam tanto quanto o valor orçado, uma vez que o retrabalho é custoso — de diferentes maneiras — para o orçamento final de uma obra.

Pintores e outros serviços

Seja para a hidráulica, marceneiros e calheiros, é válido se atentar aos resultados, visando um equilíbrio entre o custo e os benefícios da contratação. Sempre que possível, avalie a reputação das empresas e procure saber como cada uma delas cobra pelos serviços — se pela hora trabalhada ou em um conjunto fechado de valor. Tudo isso pode influenciar (de maneira positiva ou não) em sua decisão.

Como calcular mão de obra nos custos diretos?

No orçamento de mão de obra, os custos diretos estão relacionados à confecção de uma efetiva Composição dos Custos Unitários dos serviços contratados. Afinal, por meio dela, descobre-se quantas horas serão necessárias para a mão de obra realizar o serviço.

Ao multiplicar pela quantidade de cada serviço, o orçamentista encontra a quantidade de horas que cada profissional demandará para concluir uma etapa do processo e, consequentemente, terá valores mais precisos. Portanto, a fórmula usada para isso é a seguinte:

  • Custo de mão de obra = salário x [1+ (Leis Sociais + Encargos Complementares)]

Assim, vale a pena reforçar a importância da composição de Custos Unitários da obra, pois é a partir dela que o orçamentista conseguirá se aprofundar com precisão nos cálculos. Afinal, é muito rasa a noção de que, se uma obra de 100 m² custou R$ 100 mil, uma obra de 200 m² custaria, necessariamente, R$ 200 mil. Daí a relevância em custear a Composição de Custos Unitários em sua obra — contando também as Leis Sociais e os Encargos Complementares.

Soluções tecnológicas

No entanto, é possível facilitar — e muito — toda essa etapa por meio de soluções tecnológicas capazes de auxiliarem na gestão de obra. Entre os muitos aspectos facilitados por essa agilidade e precisão nos cálculos, está o orçamento de mão de obra. Portanto, é possível conciliar o expertise profissional com toda a conveniência de softwares alinhados às principais tendências do mercado e gerar mais capacidade produtiva — e confiabilidade — ao serviço dos orçamentistas.

Caso prático

Por fim, além da planilha de orçamento de obra, em que contém todos os valores citados como importantes neste artigo, é válido também ter em mãos um modelo de orçamento simples para os seus clientes terem uma primeira consideração a respeito do serviço. Abaixo, relacionamos o que não pode faltar nesse exemplo. Confira:

  • objeto do orçamento: o tipo de serviço que será prestado;
  • orçamento elaborado por: o nome da empresa que prestará o serviço;
  • orçamento elaborado para: o nome do cliente ou empresa contratante;
  • data e validade do orçamento: a data em que foi feito o orçamento e a sua respectiva validade;
  • relação da prestação do serviço: o tipo de mão de obra que está sendo avaliado;
  • prazo de execução do serviço: a estimativa inicial em que decorrerá o serviço prestado;
  • valor total: o valor total do serviço;
  • condições de pagamento: de acordo com as conveniências oferecidas pela sua empresa;
  • encerramento: com a cidade e data, bem como a assinatura do responsável.

Convém destacar que, ao calcular a mão de obra direta, o seu valor está atrelado ao preço de venda do seu produto. Com isso, a produtividade de sua equipe tem que estar muito bem nivelada à sua capacidade para que a ociosidade não seja uma constante capaz de evoluir em prejuízos e desperdícios para o seu negócio.

Como calcular a mão de obra para ser mais produtiva?

Com base no raciocínio finalizado no tópico anterior, temos que considerar que o gestor dos projetos tem um desafio grande pela frente: manter os seus profissionais continuamente engajados em produzir em alta performance e com resultados positivos.

Vale observar, também, as paradas programadas ou mesmo aquelas horas-extras não planejadas. Isso tudo, quando ocorre com frequência, encarece a sua solução.

Isso significa que a efetividade dos seus profissionais contribui diretamente não apenas com um produto ou serviço de qualidade na construção civil, mas com a geração de uma vantagem competitiva para se diferenciar qualitativamente da sua concorrência.

Portanto, ao considerar as variáveis para calcular a mão de obra, você pode ter em mente um planejamento antecipado para agregar a motivação, a produtividade e a perpetuidade dos resultados positivos na sua empresa e, assim, focar em metas que, de fato, importam.

Confira, a seguir, algumas medidas que consideramos de grande valia para obter essas metas palpáveis no seu dia a dia produtivo:

  • tecnologia: softwares de gestão colocam todo o seu trabalho em um dispositivo portátil, móvel e do qual você pode acessar, editar e transmitir dados de onde estiver, agilizando o trabalho e o planejamento;
  • menos relatórios: desburocratize o trabalho. Faça uso da solução acima citada (que pode automatizar boa parte dessa tarefa), mas também cheque quais processos são repetitivos ou que nada agregam à quantificação e qualificação do serviço prestado;
  • evite distrações: alguns exemplos  são as reuniões em excesso, e com poucas conclusões, mas as paradas não programadas mencionadas anteriormente também contam;
  • treinamentos: qualifique a sua equipe e lapide as especializações deles com base nas demandas do seu negócio por meio de treinamentos. Uma maneira de reter os talentos e, ainda, agregar mais valor constantemente à sua marca;
  • dê o exemplo: seja a inspiração que a sua equipe procura para que todos os dias de trabalho sejam envoltos em produtividade, engajamento e entusiasmo para criar sempre mais — e melhor.

Agora que você já está por dentro de tudo a respeito de um bom orçamento e como calcular a mão de obra, nós convidamos você a se aprofundar nessas questões por meio do nosso material gratuito sobre como a gestão dos ativos pode manter o patrimônio controlado e a empresa competitiva no mercado da construção civil. Até a próxima!

Related Post

Este post foi escrito por Noventa TI