gestão de manutenção

Gestão de manutenção: 11 vantagens de fazê-la

Na Engenharia Civil, um dos grandes desafios reside na quantidade de imprevistos que pode nos levar à improdutividade, prejuízo e desperdício no canteiro de obras. Justamente por isso, uma boa gestão de manutenção é um diferencial e tanto em sua empresa.

Afinal de contas, antecipar-se ao surgimento de problemas é o principal caminho para contar com um dia a dia imune a falhas, o que também garante mais alinhamento com o cronograma e, consequentemente, mais lucros em cada projeto.

Quais os principais tipos de manutenção existentes atualmente e as principais vantagens em contar com a cultura de conservação na sua empresa? Saiba mais sobre a gestão da manutenção nesse post!

O que a manutenção significa na sua empresa?

A importância de uma gestão de manutenção em sua empresa significa, em primeira instância, a certeza de que você terá menos riscos decorrentes do mau uso de seu equipamento. Sem falar que os problemas que podem surgir pelo desgaste precoce das peças e outros componentes do seu maquinário também serão reduzidos. Afinal, a gestão de manutenção visa, justamente, prever o melhor momento para ajustar ou substituir qualquer elemento do equipamento.

Consequentemente, a sua empresa pode gozar de mais produtividade e eficiência do maquinário e munir-se de um dia a dia mais seguro, do qual você desfruta ao máximo da hora de trabalho dos seus colaboradores. Então, o que se deve avaliar é a periodicidade da qual o seu maquinário necessita de uma boa avaliação — para evitar problemas — e o melhor tipo de manutenção, que é adequada à realidade de sua empresa.

Por isso, é muito recomendado que você conviva com uma rotina de manutenção em sua empresa — principalmente, ao lidar com diferentes tipos de equipamentos, dos quais você utiliza em diferentes frequências e intensidades. Para auxiliar na sua tomada de decisão, reunimos a seguir os principais tipos de manutenção no mercado e que podem ser aproveitados no cotidiano do seu canteiro de obras!

Quais são os tipos existentes de manutenção?

Para os mais diversos setores produtivos da sociedade, existem diferentes tipos de manutenção. Caso você queira saber qual é o melhor para aplicar em sua gestão de manutenção na Engenharia Civil, analisaremos as principais características de cada um. Confira!

Manutenção corretiva

Considerado o tipo de conservação mais custoso, a manutenção corretiva é realizada de maneira tardia. Ou seja: somente após algum equipamento apresentar problemas.

Isso faz com que o tempo de parada da sua produção seja maior e que a resolução do problema deva ser imediata, pois cada minuto em que você não puder contar com o maquinário, você estará acumulando prejuízos. Sem falar que a manutenção corretiva ajuda a reforçar um efeito de bola de neve no seu canteiro de obras, pois esse período se traduzirá em estouros no orçamento e no cronograma — duas palavras relevantes na concretização de lucros ou prejuízos na obra. Ainda assim, vale a pena conferir as vantagens e desvantagens da manutenção corretiva:

Vantagens

  1. Para consertos pontuais, ela pode ser mais acessível;
  2. Com uma equipe interna, o tempo de resposta para o conserto do maquinário pode ser maior;
  3. É necessário um investimento menor em logística do que a manutenção preventiva ou preditiva, por exemplo.

Desvantagens

  • Perda de produtividade quando um equipamento apresenta problemas;
  • Danos maiores do que o original, quando um maquinário fica inoperante;
  • Pode gerar um efeito de bola de neve, com mais prejuízos e atrasos na obra.

Por isso, dentro de uma gestão de manutenção, é importante dispor de uma equipe terceirizada ou interna de conservação corretiva. Entretanto, a prevenção pode garantir um benefício mais significativo para a sua empresa.

Manutenção preventiva

Com a manutenção preventiva, as suas obras passam a contar com um modelo cujo foco principal é antever diferentes situações que possam causar atrasos e prejuízos nos projetos. Dessa maneira, você passa a aplicar rotinas de manutenção periódicas para que o seu equipamento sempre apresente as melhores condições de produtividade.

Isso traz também alguns benefícios imediatos em sua obra, mas também alguns desafios. Vamos ver quais são?

Vantagens

  1. Rotina mais segura e qualitativa, uma vez que você resolve problemas antes de acontecerem;
  2. Ajuda a elevar a vida útil dos equipamentos;
  3. Permite que a parada das máquinas seja calculada, evitando perda na produção e cumprimento dos prazos.

Desvantagens

  • Muitas empresas veem como uma solução custosa;
  • Quando não aplicada da maneira adequada, não se percebe os benefícios.

Como vimos, o grande desafio da manutenção corretiva reside, justamente, na ausência de um benefício palpável para gestores que pouco se apegam às informações de suas obras. Afinal, dispor dessa rotina preventiva faz com que as suas máquinas trabalhem mais e por mais tempo, sem interferir na produtividade dos seus projetos.

Consequentemente, o tempo de trabalho de suas equipes também é melhor aproveitado. Mas caso o maquinário não apresente problemas evidentes, muitos gestores podem pensar que o custo da manutenção preventiva não é dos mais benéficos.

Manutenção preditiva

Um tipo bastante popular que pode fazer parte de sua gestão de manutenção é o preditivo. Ou seja: aquele que trabalha de uma maneira mais peculiar contra a prevenção de problemas.

Neste caso, a sua gestão de manutenção se apega a um conceito de técnicas que ajudam a avaliar os principais componentes de suas máquinas para, então, decidir o momento ideal para reparar ou substituir esses elementos. Dessa maneira, a ideia é manter a produtividade elevada dos equipamentos, até que as peças comecem a se desgastar, interferindo na eficácia deles. Assim, é possível concentrar uma série de benefícios para a sua rotina, como:

Vantagens

  1. Aumenta a vida útil do maquinário;
  2. Controla o desgaste de peças;
  3. O intervalo de parada do equipamento pode ser programado.

Desvantagens

  • O custo pode se mostrar mais elevado do que a manutenção corretiva, em alguns casos;
  • Serviço especializado requisitado para a sua realização.

Ou seja: é um tipo de conservação que concentra poucas desvantagens e pode ser fundamental para uma boa gestão de manutenção.

Manutenção sistemática

Por fim, a manutenção sistemática não visa prever problemas no maquinário, mas em avaliações periódicas que analisam a condição das partes. Com isso, temos:

Vantagens

  1. Serviço menos custoso;
  2. Identificação de problemas em peças.

Desvantagens

  • O cronograma pode não bater com o desgaste das peças;
  • Pode se tornar uma opção similar, mas mais custosa do que a manutenção corretiva.

Com isso, é importante entender como é a relação do seu canteiro de obras com os seus equipamentos para identificar, consequentemente, a melhor solução para integrar a sua gestão de manutenção. Independentemente de sua escolha, ela é essencial em suas obras.

Já trabalha com um sistema de gestão de manutenção na sua empresa? Compartilhe suas experiências no campo de comentários deste post!

Related Post

Este post foi escrito por Noventa TI