histograma de mão de obra

Conceito e vantagens de um histograma de mão de obra bem feito

O histograma de mão de obra (também conhecido como histograma de recursos humanos) é uma representação gráfica dos recursos humanos de uma empresa. Para organizar o canteiro de obras ou o setor administrativo, no segmento de construção civil, tem muito a agregar.

E é justamente isso o que veremos ao longo deste post. Nos próximos tópicos vamos explorar de maneira aprofundada o conceito e aplicação de um histograma de mão de obra — além de apontar algumas das vantagens em tê-lo na estruturação da empresa. Confira!

O que é um histograma de mão de obra?

Para chegar a uma definição, vamos por partes: recursos humanos (ou mão de obra) são os ativos valiosos de uma empresa e que pode ir desde as ferramentas e equipamentos à disposição, como os trabalhadores em todas as frentes e especializações da obra.

As classificações diferem, especificamente, mas compreendem à mesma nomenclatura principal. Enquanto isso, o histograma nada mais é do que uma representação gráfica da distribuição desses recursos.

Trata-se, portanto, de uma ferramenta analítica de dados quantitativos, o que permite à gestão da empresa observar a distribuição desses ativos de maneira estratégica e assertiva.

Quando surgiu?

O conceito de histograma de mão de obra data das últimas décadas do século 19, quando André Michel Guerry  fez uso do método para analisar os dados relativos a uma onda de crimes locais. Isso possibilitou uma perspectiva geral da situação, apontando as variáveis com os dados coletados.

Por que usar o histograma de mão de obra?

A princípio, o modelo aplicado por essa ferramenta cria uma perspectiva ampla de tudo o que está acontecendo no canteiro de obras.

Pense, por exemplo, na quantidade de projetos em execução e a mão de obra alocada para cada um deles. Por meio do histograma é mais fácil identificar o cronograma e como usar os recursos humanos de maneira organizada, sem interferir nos prazos, e otimizada.

Sem falar que é um instrumento útil para a verificação de quantos profissionais são necessários para a conclusão de uma determinada etapa. É, basicamente, um recurso de análise, compilação e uso posterior para os outros canteiros de obra.

Vamos a um exemplo: ao montar o seu histograma de mão de obra, tenha em mente que em um lado dele deve conter a representação do número de horas em que um grupo de profissionais será usado em determinado período.

As barras verticais do histograma, por sua vez, apontam a disponibilidade de cada um dos recursos utilizados. É um comparativo importante, que evita o acúmulo de responsabilidades, prejudicando todo o cronograma e orçamento da obra.

Como aplicar essa ferramenta?

O exemplo acima deve ter esclarecido, ao menos, que o histograma de mão de obra — quando bem feito — oferece um planejamento mais preciso para a alocação dos recursos da empresa.

Existem também outras utilidades para ela, como:

  • previsão de performance;
  • produtividade de cada equipe;
  • verificação de simetria ou qualquer tipo de desvio dos valores aplicados;
  • número de ocorrências específicas no decorrer da obra.

Para tanto, a etapa de planejamento é determinante para o sucesso de sua implementação. Algo que começa com a definição de parâmetros do que será monitorado no histograma de mão de obra.

Em seguida, os dados são continuamente coletados e alocados às suas respectivas bases e classes (as linhas horizontais e verticais). Depois, basta manter sob controle os registros.

Vale destacar que isso parece um trabalho sobrehumano, mas há como torná-lo menos pesaroso. Por exemplo, por meio do uso de softwares de gestão, que permitem um acompanhamento muito mais agilizado, facilitando até mesmo na geração de resultados.

Importante frisar que os dados para composição do histograma são as classes, os intervalos e a

Quais são as vantagens disso?

Caso ainda não tenha ficado evidente o quanto um histograma de mão de obra pode ser proveitoso no canteiro de obras, aí vão as suas grandes vantagens, listadas logo abaixo:

  • ferramenta fácil de elaborar, simples de usar e rápida para absorver as informações — seja em dados manuais ou em planilhas digitais;
  • permite boa compreensão a respeito da distribuição dos dados;
  • avaliação de tendências, no fluxo de trabalho, que podem ser replanejadas, otimizadas ou descartadas, caso apresentem muitos problemas em sua execução;
  • comparação precisa de resultados obtidos, o que se traduz em eficácia para seguir o cronograma;
  • auxilia na tomada de decisões.

Ou seja: o histograma de mão de obra pode ser usado em qualquer etapa do processo de produção. Sem falar que funciona ativamente como um instrumento comparativo e de análise de padrões — qualidades indiscutíveis para a boa condução de um empreendimento.

Por onde começar?

Agora deve ter dado para perceber que, embora não seja uma tendência ou novidade do ramo, o histograma de mão de obra é um instrumento estratégico que só tem a beneficiar o planejamento em curto, médio e longo prazo.

Por isso, procure avaliar o seu uso dentro de uma solução tecnológica capaz de compilar e armazenar os dados registrados com rapidez e eficácia. Para a sua gestão, só benefícios podem ser coletados disso.

Entre eles, podemos destacar também a redução de custos, já que o seu planejamento será realizado por meio da análise de dados, e não em apostas.

Só que o histograma de mão de obra não é o único meio para reduzir os custos na empresa, sabia? Para aprender mais sobre como gerar economia nos seus projetos — mas sem abrir mão da qualidade produtiva de sua equipe —, não deixe de conferir o nosso infográfico explicando como elaborar um orçamento de obras campeão!

Este post foi escrito por Noventa TI