Skip to content

Categoria: Mercado de engenharia

Business Intelligence na construção civil: transforme os resultados da sua empresa

business intelligence

O Business Intelligence (BI) na construção civil é fundamental para fazer com que as decisões de um projeto sejam guiadas por dados e se transformem em resultados expressivos! Leia este conteúdo e saiba mais sobre o tema.

Pequenos, médios ou grandes empreendimentos. Não importa o tamanho, em todos eles a gestão é fator fundamental para que as obras sejam bem planejadas, tenham seus recursos humanos e financeiros alocados nos pontos certos e, principalmente, cumpram seus objetivos finais: a entrega de projetos sem atrasos.

O grande ponto aqui é que, como os profissionais mais experientes da área já sabem, dificilmente esses processos ocorrem de maneira linear. Aliás, ironicamente, “imprevistos” sempre acontecem.

Um pequeno atraso do fornecedor na entrega dos materiais já é capaz de modificar todo o ecossistema de uma obra e, nesse caso, cabe ao gestor responsável trazer maneiras de planejar e implementar ações que evitem um maior desperdício de tempo e verba.

E é exatamente aqui que os dados são fundamentais, tanto para guiar um replanejamento quanto para evitar que determinados empecilhos ocorram no decorrer do projeto.

Então, continue acompanhando este artigo e descubra o que é o BI na construção civil, seus diferenciais, como funciona, as principais aplicações e vantagens práticas!

O que é Business Intelligence (BI)?

Business Intelligence é o processo de tornar dados disponíveis e significativos para os tomadores de decisão empresariais. O objetivo da inteligência empresarial é ajudar as empresas a tomar melhores decisões com base em dados. A inteligência empresarial pode ser dividida em três áreas principais:

  • dados históricos: são usados ​​para analisar tendências passadas e entender o que funcionou bem ou não antes;
  • dados atuais: voltados ao monitoramento e desempenho da empresa em tempo real a fim de tomar decisões operacionais;
  • previsões: utilizado para prever tendências futuras e preparar a empresa para o que está por vir.

Grandes negócios usam a inteligência empresarial para tomar decisões críticas, como quais produtos lançar, onde investir seus recursos e como melhorar sua operação. O BI também é útil para analisar o impacto das decisões de negócios e entender o que está funcionando bem e o que precisa ser melhorado.

BI na construção civil: qual é seu diferencial?

Adotar o Business Intelligence na construção civil significa utilizar a tecnologia a favor do seu projeto e tornar a sua empresa mais competitiva no mercado. Simples assim.

Vale dizer que este setor movimenta muito dinheiro e é primordial para a economia brasileira e global. Logo, qualquer erro ou perda de oportunidades pode ser muito significativa para os negócios.

Veja abaixo como contar com os diferenciais do BI na construção civil.

1 – Ferramentas de integração de dados

Do básico, como o ERP para construção civil até o mais avançado, para transformar esses dados em análises e resultados é preciso um software capaz de processar e integrar informações.

Portanto, é necessário que essa ferramenta seja capaz de trazer fontes de maneira eficiente.

 

2 – Integração de dados (software para BI)

Desde informações internas, como orçamentos e contratos e afins até as pesquisas de mercado e mapeamento de oportunidades, todas elas podem (e devem) ser integradas ao BI.

Geralmente as informações internas estão em sistemas de gestão e as externas em Big Data. Especializado na indústria da construção civil, o 90 Compor ERP oferece integração completa para o Bl.

3 – Criação e monitoramento de KPIs

Definir as Key Performance Indicators (KPI) ou Indicadores de Performance é fundamental para o sucesso de um projeto.

Com a integração de dados do sistema de gestão e utilização do KPI, é possível defini-las com mais assertividade e também monitorá-las de perto, para saber se os processos estão ou não no caminho planejado.

Este pode ser considerado o ponto chave para a gestão de obras, visto que o gestor tem controle sobre tudo o que está acontecendo. É uma conta básica: conhecimento/controle + autonomia + base de dados sólida = tomadas de decisão assertivas.

Como funciona o Business Intelligence?

Uma coleta de dados completa e bem estruturada é necessária para que o BI seja efetivamente realizado, portanto é fundamental coletar excelentes dados. Afinal de contas, o estudo será inteiramente baseado nas informações que foram coletadas.

Este processo é conhecido como Big Data ou Big Data Analytics. Aqui, os relatórios são gerados através da análise de dados. Estes documentos serão comparados entre si a fim de fornecer uma representação concreta da informação.

Um painel de controle (dashboard) é criado a partir das informações acima. Para colocar de outra forma, uma planilha na qual os usuários podem ver os indicadores e métricas obtidas pelo BI. Estes dados serão compartilhados com outros colegas em toda a empresa para que eles possam entender melhor quaisquer problemas que possam surgir.

Isto é feito de uma maneira direta e transparente, permitindo que todos compreendam o que foi apresentado. O processo de tomada de decisão segue depois disso, e o plano de ação é modificado nos setores afetados pelo conhecimento adquirido.

Principais benefícios do business intelligence na construção civil

Ok, você já sabe que o Business Intelligence favorece a coleta e análise de dados, agora a grande questão é: como tudo isso se torna uma vantagem prática em uma obra ou qualquer outro projeto do tipo?

Confira abaixo as principais vantagens do BI na construção civil:

  • redução de falhas operacionais, táticas e estratégias/gerenciais;
  • aumento de produtividade;
  • otimização da gestão e administração de obras;
  • mais mobilidade;
  • inovação;
  • melhoria contínua de processos;
  • informações disponíveis a qualquer momento;
  • dentre outras.

Business Intelligence é o diferencial para o seu projeto

O ramo da construção civil é extremamente técnico e o BI surge como um diferencial competitivo para tornar isso ainda mais aplicável na rotina de trabalho.

Portanto, podemos dizer sem dúvida alguma que integrar, coletar e analisar dados a fim de identificar oportunidades de mercado e melhorar a mão de obra técnica, operacional e estratégica deixou de ser um luxo e passou a ser necessidade na construção civil.

Em outras palavras, em um segmento tão competitivo, se destaca quem consegue ser mais assertivo — e mostrar essa eficiência.

Então, não desperdice mais chances de despontar! Entre em contato com a 90TI e otimize a sua gestão de obras!

 

Tecnologia na engenharia civil em 2022: conheça as principais tendências

tecnologia na engenharia civil

A tecnologia na engenharia civil avança a cada dia que passa com materiais, produtos, ferramentas e metodologias. Quer saber quais são as principais tendências adotadas no ano de 2022? Descubra agora!

A construção civil não só é um mercado importante e necessário para a economia brasileira e mundial, como também é altamente inovador e cheio de campos a serem explorados.

Inclusive, engana-se quem acha que o avanço tecnológico se opõe ao meio ambiente e às gerações futuras do planeta. Pois, à medida em que a tecnologia ganha força, assuntos como ESG na engenharia (meio ambiente, social e governança), programas como IPTU verde e construções sustentáveis tornam-se ainda mais relevantes.

Aliás, o que uma coisa tem a ver com a outra? Simplesmente tudo! Até porque é dessa forma que uma obra consegue cumprir seu papel com excelência, já que é executada com precisão, pensada na qualidade de vida das pessoas e ainda traz inovações!

Então, sem mais delongas, confira agora o que há de mais interessante em tecnologia na engenharia civil em 2022!

Tendências de tecnologia na engenharia civil

Em uma época em que muito se fala sobre a utilização das máquinas de construção civil, por que não ir além e falar também sobre os recursos que não necessariamente dependem delas?

Nesse caso, as tendências de tecnologia na engenharia civil são interessantes por dois motivos: primeiro, novos empreendimentos estão sendo feitos a partir delas e edificações antigas podem aderi-las ao passarem por reformulações.

Até porque, os recursos tecnológicos são hoje um dos maiores aliados de um projeto! Confira alguns deles:

1 – Isolamento acústico

Essa é uma das tecnologias mais utilizadas na construção civil. Isso porque desde 2013 a NBR 15.575 determina que as novas edificações tenham isolamento acústico.

Sua utilização é essencial para garantir conforto às pessoas, pois, como seu nome sugere, ela isola ruídos externos que possam causar incômodos.

O isolamento acústico pode ser feito de diferentes formas, como painel wall (composto por duas placas cimentícias, sem amianto, e um miolo de madeira), lã de vidro e de rocha e espumas acústicas. Seus benefícios em uma construção são:

  • redução de poluição sonora;
  • aumento de privacidade;
  • diminuição de atrito entre vizinhos;

2 – Impressão 3D

Recurso extremamente interessante, a impressão 3D é uma tecnologia utilizada para imprimir projetos com três dimensões (altura, largura e profundidade).

Na construção civil, as impressoras 3D são usadas principalmente para reduzir a utilização de materiais utilizados durante uma obra, pois permitem que estruturas complexas sejam desenhadas, estruturadas e projetadas com maior facilidade.

Essa tecnologia dispensa mão de obra e é capaz de reproduzir obras em pouco tempo! 

3 – Concreto autocicatrizante

Se você achou que este artigo sobre tecnologia abordaria temas como data science na construção civil, automatização de tarefas e softwares inovadores, acertou, mas não podemos deixar de citar as inovações dos materiais! No caso, o bom e velho concreto.

O concreto autocicatrizante é uma mistura de cimento, areia, água e aditivos que promove a cura das fissuras e trincas do concreto, sendo uma tecnologia na engenharia civil relativamente nova. 

Ainda assim, ele está ganhando cada vez mais popularidade devido às suas vantagens em relação ao concreto tradicional. 

Uma das principais vantagens do concreto autocicatrizante é a sua capacidade de se curar sozinho, sem a necessidade de intervenção humana. Isso reduz o tempo e o custo necessários para a manutenção do Concreto, além de aumentar sua durabilidade. Outra vantagem é a sua resistência à água, o que o torna ideal para a construção em ambientes com alta umidade.

4 – Representações virtuais

As representações virtuais na construção civil são ferramentas úteis que permitem aos gestores de obras, arquitetos e engenheiros criar modelos tridimensionais de edifícios e outras estruturas. 

Eles podem ser usados para visualizar o projeto, fazer simulações e testes, bem como para analisar o impacto da construção no ambiente. 

Além disso, as representações virtuais na construção civil também podem ser usadas para gerar imagens e vídeos do projeto, o que pode ser útil para a comunicação do projeto para os clientes e o público.

5  – Utilização de drones

Aclamada tecnologia na engenharia civil e também em outros mercados, os drones estão cada vez mais populares. Eles podem ajudar a monitorar o progresso de um projeto, fazer entregas de materiais e até mesmo inspecionar áreas inacessíveis.

Veja algumas das formas pelas quais os drones na construção civil podem ser utilizados:

  • Monitoramento do projeto: os drones podem ser usados para sobrevoar a obra e tirar fotos ou vídeos do progresso. Isso é útil para garantir que o projeto esteja de acordo com o cronograma e também para identificar problemas que precisam ser abordados;
  • Entrega de materiais: seu uso para essa finalidade evita o tráfego pesado e ajuda a garantir que os materiais sejam entregues a tempo;
  • Inspeção de áreas inacessíveis: os drones também são usados para inspecionar locais altos, perigosos ou que um ser humano não conseguiria alcançar.

6 – Smart homes 

Antes um sonho distante, hoje as smart homes já são realidade quando falamos em tecnologia na engenharia civil!

As casas inteligentes são uma construção tecnológica que tem como objetivo integrar todas as suas partes e realizar tarefas de forma automatizada graças à internet.

O mercado smart home está em ascensão e seus principais benefícios são segurança, praticidade e conforto.

7 –  Construções modulares

As construções modulares são criadas em seções pré-fabricadas e podem ser facilmente transportadas e montadas no local da construção, o que acelera o processo de estruturação, possibilitam que custos operacionais e de materiais sejam reduzidos durante o projeto e oferecem flexibilidade.

Por essas razões, o conceito de construção modular ganha cada vez mais espaço no cenário da construção civil, especialmente quando falamos de fábricas e galpões.

Tecnologia é essencial para se destacar na construção civil

Seja com o uso de um software de gestão capaz de facilitar a visualização e acompanhamento do seu projeto ou então com recursos disruptivos que aceleram a produção e finalizam uma obra com maestria, a tecnologia na engenharia civil já deixou de ser luxo e tornou-se uma necessidade.

Por isso, este artigo trouxe 7 tendências tecnológicas para você acompanhar e utilizar visando a otimização do seu projeto! Aliás, quais delas você já utiliza?

Por falar nisso, acompanhe o blog da 90 e mantenha-se atualizado sobre as principais tecnologias na construção civil e se destaque no mercado.

As maiores construtoras do Brasil segundo a INTEC

maiores construtoras do Brasil

A grande maioria dos estudantes de Engenharia Civil – e mesmo aqueles que já estão formados – sonham em trabalhar em uma grande construtora. Afinal as maiores construtoras do Brasil costumam oferecer um bom ambiente de trabalho, salários e benefícios que chamam atenção no mercado.

Assim, todos os anos, a INTEC organiza o ranking com as 100 maiores construtoras do Brasil. Neste artigo, você descobrirá algumas dessas empresas, que ocupam as primeiras posições do ranking e conhecerá um pouco mais sobre elas.

Confira!

As 10 maiores construtoras do Brasil

Aparecer entre as maiores construtoras de acordo com a INTEC é objetivo de qualquer gestor do ramo da construção civil. O ranking mostra o sentimento dos grandes empreendedores do setor para o mercado. Ou seja, as empresas citadas no ranking podem servir de inspiração para as construtoras que ainda não foram contempladas.

1- Direcional

A construtora tem 40 anos de história, com sede em Belo Horizonte e atuação em 13 estados do Brasil com mais de 150 mil unidades entregues e incorporadas. As unidades entregues variam desde o segmento de médio e alto padrão até empreendimentos do programa Casa Verde e Amarela. 

São mais de 6 mil colaboradores que fazem parte da empresa que realiza o sonho da casa própria de milhares de brasileiros. Mais informações podem ser vistas em seu site oficial: www.direcional.com.br

2- Tenda

A empresa, também de Belo Horizonte, foi fundada em 1969 com objetivo de facilitar o sonho da casa própria aos brasileiros. A Tenda tem parceria com programas governamentais, com benefícios para facilitar o financiamento. Também oferece condições de pagamento facilitadas e atendimento personalizado durante todo o processo. 

A empresa já ajudou mais de 120 mil famílias e atua em nove estados brasileiros. Ela é uma das empresas que integram a Bolsa de Valores de São Paulo, tem capital pulverizado, com free float (ações em livre negociação) de mais de 90% dos papéis emitidos. Visite o site para mais informações: www.tenda.com

3- MPD

Fundada em 1982, em São Paulo, a MPD possui mais de 120 obras realizadas ao longo de sua história em seu currículo. Além de aparecer no ranking das maiores construtoras do Brasil, também já recebeu prêmio de uma das melhores empresas para trabalhar e também na gestão de pessoas. 

Além disso, atua na construção de hospitais, universidades, shopping centers, indústrias, incorporação de apartamentos, escritórios de médio e alto padrão, galpões de logísticas e mais. Veja mais informações no site: www.mpd.com.br

4- Plaenge

O Grupo Plaenge foi fundado em 1970 e atua nos setores de desenvolvimento urbano, projetos, montagens industriais, incorporação industrial e mais. A empresa desenvolve imóveis de alto luxo ao lado da Vanguard.

Além disso, ela trata da construção dos imóveis, enquanto a Vanguard é porta de entrada para novas ideias e catalisadora de mudanças adicionando ousadia à empresa. 

A Plaenge está presente em sete capitais brasileiras e é conhecida como a maior construtora do centro-oeste do país. Além do Brasil, estão há mais de uma década no Chile e no setor industrial já entregaram obras em 19 estados do Brasil e na Venezuela. Saiba mais no site: www.plaenge.com.br

5- Diálogo

A Diálogo Engenharia foi fundada em 1987 e se propõe a entregar empreendimentos nas melhores localizações de São Paulo. Até agora, já foram entregues mais de 12 mil apartamentos, mais de 180 torres e mais de 1,8 milhão de metros quadrados de área construída. Além disso, a empresa prevê a entrega de mais de 6 mil apartamentos nos próximos 24 meses. Confira mais informações no site: www.dialogo.com.br

6- Cyrela

A Cyrela foi fundada em 1962, em São Paulo, e já está presente, além do Brasil, na Argentina e Uruguai. A empresa opera em 16 estados e 66 cidades brasileiras. A Cyrela é responsável por empreendimentos de luxo e alto padrão.

Ela se divide em três grupos: Cyrela, Living e Vivaz. Entre suas obras de destaque estão o Faria Lima Financial Center e JK Financial Center, ambos em São Paulo, e o Le Parc Residential Resort Salvador, maior condomínio de luxo do país. Confira mais informações sobre a construtora em seu site oficial: www.cyrela.com.br

7- Cury

A Cury Construtora foi fundada em 1963 e oferece qualidade em obras com valor acessível, no programa Casa Verde e Amarela. A empresa possui certificados reconhecidos e prêmios imobiliários. Em 2020, foi realizado o IPO e a empresa entrou na B3, a Bolsa de Valores nacional. 

A Cury tem como objetivo reduzir o déficit habitacional do Brasil e, para tal, já foi responsável por mais de 60 mil casas próprias. Presente em São Paulo e no Rio de Janeiro, também é responsável por imóveis de alto luxo. Saiba mais informações em seu site: www.cury.net

8- Matec

A Matec foi fundada em 2003 para atender a alta demanda que a empresa especializada na produção de tecidos de filtragem e assistência técnica que os seus fundadores possuíam. A Matec foi criada para produção de máquinas e, em pouco tempo, a produção artesanal foi convertida em industrial, com número crescente de plantas em todo o mundo.

A Matec Brasil nasceu em 2018 para importar e distribuir produtos da empresa para toda a América Latina. A empresa faz o que define como Engenharia de Valor, fazendo uso de recursos tecnológicos de forma colaborativa. Confira mais informações sobre a Matec em seu site oficial: www.matecconnect.com.br

9- Plano & Plano

A Plano & Plano nasceu na década de 1990 com foco em prestar serviços de engenharia e construção civil de qualidade. Atualmente, está presente em mais de 15 cidades. Em 2018, a construtora apareceu no ranking das 100 maiores do Brasil, sendo a primeira do Sudeste e a quarta do país.

Novamente, a empresa fundada em São Paulo aparece no ranking das 100 maiores do país, ainda entre as primeiras colocações. Saiba mais sobre a Plano & Plano em seu site: www.planoeplano.com.br

10- Ribeiro Caram

A Ribeiro Caram foi fundada em 1997 e, até agora, já executou projetos em 12 estados, com mais de três milhões de metros quadrados de área construída. Dois terços desses projetos foram feitos na última década, comprovando o crescimento da empresa. Desde 2007, a empresa tem o seu Programa Aprendiz, oferecendo a jovens estudantes a oportunidade do primeiro emprego, em parceria com o CIEE e NUBE. 

A empresa tem ainda o projeto IMCASA, que dá a oportunidade do imóvel próprio com alta qualidade e custo acessível. A construtora possui projetos nas áreas institucionais, comerciais, residenciais, industriais, centro logístico e shopping centers.

Além disso, ela também oferece burocracia reduzida, com clientes tendo acesso direto aos profissionais responsáveis pelos projetos, do engenheiro ao diretor, para que os problemas e dúvidas sejam solucionadas com mais rapidez. Saiba mais sobre a empresa em seu site: www.ribeirocaram.com.br

Outras grandes construtoras do Brasil que não estão no ranking da INTEC

  • MRV

Fundada em 1979, a MRV é a maior construtora do Brasil nos segmentos de imóveis para classe média e média baixa. Ela é a única que oferece casas e apartamentos em mais de 160 cidades do país.

Em 2014, ela conquistou as certificações ISO 14.001 e a OHSAS 18.001. A primeira estabelece padrões rigorosos sobre gestão de meio ambiente e a segunda, sobre gestão de segurança e saúde das empresas. Saiba mais informações no site: www.mrv.com.br

  • Caprem Construtora

A Caprem foi fundada em 2003 e, desde então, já tem mais de 750 mil metros quadrados de construção e cerca de 2.500 unidades habitacionais entregues. Confira mais informações no site oficial: www.caprem.com.br

  • BN Engenharia

A BN Engenharia também é uma das maiores construtoras do Brasil. Ela foi fundada em 1977, a partir da junção do Grupo Bueno Netto com duas empresas independentes, uma incorporadora e uma construtora. Seu foco é prestar serviços para terceiros e negócios para o grupo.

A empresa já construiu edificações comerciais, residenciais, hospitalares, industriais e shopping centers. Saiba mais informações sobre a BN Engenharia: www.bnengenharia.com.br

Como alcançar um melhor gerenciamento de obras?

Alcançar o status de construtoras mais bem avaliadas no Brasil não é fácil, no entanto, um bom gerenciamento de obras pode ser o início dessa meta.

Assim, ao iniciar uma construção, é importante pensar no melhor caminho a seguir e como isso deve ser feito. Os pontos cruciais do gerenciamento de obras devem ser levados em conta para que o projeto consiga se manter com qualidade, prazo e orçamento estabelecidos, evitando o aumento de custos.

Nesse caso, uma gestão de obras manual pode ser improdutiva e está sujeita a perdas de informações e erros. Assim, soluções tecnológicas são essenciais para otimizar o gerenciamento de obras, além de deixá-lo mais econômico.

Quando as construtoras investem em soluções tecnológicas, há maior precisão, organização e centralização de dados. A perda de informações é evitada e os dados tornam-se mais completos, com mais possibilidades de uso de recursos visuais, por exemplo. Isso impacta diretamente na confiabilidade, qualidade e produtividade de toda a obra.

Quer saber mais? Baixe agora o nosso material sobre a transformação digital para construtoras e descubra ainda mais benefícios para a sua gestão.

Órgãos públicos terão que aumentar infraestrutura de dados para o BIM

BIM

Arthur Costa Sousa, vice-presidente executivo da Concremat

Para a newsletter da Agência Infra

Via Linkedin

Os órgãos públicos terão que fazer investimento em sua estrutura de armazenamento e conexão de dados para cumprir as normas que tornaram obrigatório o uso do BIM (Modelagem de Informações para Construção, na sigla em inglês). É o que avalia Arthur Sousa, vice-presidente executivo da Concremat, empresa de desenvolvimento de projetos que é uma das pioneiras no uso dessa metodologia no país.

O país se tornou um dos mais avançados na América Latina em termos de uso dessa metodologia ao tornar obrigatório, para contratações públicas do governo federal, que os projetos utilizem o BIM, o que vale já a partir deste ano para alguns órgãos nos ministérios da Defesa e da Infraestrutura, segundo Sousa.

Uma regra de transição do Decreto 10.306/2020 determina que até 2024 todas os projetos e obras de grande porte deverão obrigatoriamente utilizar, em toda a administração federal, essa ferramenta. E, até 2028, serão inseridos os chamados projetos de média relevância. Os critérios para determinar o grau de relevância serão criados.

Mas, para que a metodologia funcione, não bastará apenas a determinação legal. Segundo ele, são necessários equipamentos que possam receber, processar e armazenar grandes volumes de dados. O custo inicial dos equipamentos para se usar o BIM chegam a ser quatro vezes superiores aos de um gerenciamento comum, na avaliação do especialista.

Capacitação

Sousa também alerta para a necessidade de capacitação dos profissionais do setor público e privado para o uso da metodologia. Ele lembrou que as próprias empresas do setor criaram o BIM Fórum Brasil, uma associação que vai ter a finalidade de promover a capacitação e apoio para o uso da metodologia.

Apesar dos custos iniciais considerados mais elevados para a implantação, Sousa diz que o uso do BIM traz muito mais benefícios ao longo da construção e até mesmo para a fase de operação e manutenção, após a obra pronta.

O BIM é na prática uma forma de que todos os envolvidos com o projeto ou a obra estejam cooperando dentro de uma mesma ferramenta de troca de informações, o que garante benefícios como maior agilidade para atualizações de projeto e melhor controle de custos. Antes, os projetos eram feitos por diferentes profissionais, de forma separada, o que dificultava o controle e levava a muito mais lentidão e insegurança para realizar alterações de projetos.

“Era como se cada profissional, o projetista, o orçamentista, o planejador, trabalhassem numa caixa separada”, explicou Sousa.

 

Demanda por BIM

O vice-presidente da empresa afirmou que Concremat usa o BIM desde 2009 e atualmente só não faz o projeto nessa plataforma se o cliente exigir. Segundo ele, as empresas estão cada vez mais demandando que os projetos sejam feitos pelo BIM por causa dos benefícios que o modelo apresenta.

Entre eles, segundo Sousa, está a maior segurança para que o nível decisório da companhia possa tomar decisões em mudanças de projetos, por exemplo.

“Se, na construção de uma rede de esgoto, você encontra uma tubulação de gás e tem que fazer desvio, vamos apresentar soluções mais rápidas. Quem decide vai poder visualizar isso de maneira muito mais simples. Eu digo que o BIM facilita a engenharia para não engenheiros”, disse o vice-presidente.

Outro benefício está na financiabilidade do projeto. Segundo ele, é possível ter muito mais segurança sobre o andamento da obra e as necessidades de recursos que ela terá em cada fase, o que facilita a obtenção e o gerenciamento do crédito para a construção.

Quer ter acesso a um sistema 100% integrado à tecnologia BIM? O 90 Compor Orçamento e Planejamento de Obras é a solução que você deseja! Entre em contato e agende uma demonstração.

10 dicas de engenheiros para você se destacar no mercado

10 dicas

Já se perguntou alguma vez se está realmente preparado(a) para encarar a disputa do mercado de engenharia? Aqui vão 10 dicas para te ajudar!

Quando ainda estamos cursando a faculdade de engenharia (ou qualquer uma outra), chega um momento no qual percebemos que os conhecimentos adquiridos durante o curso não são suficientes para se destacar em meio a tanta concorrência. Aí vem à mente uma pergunta: como se tornar um engenheiro preparado para o mercado de trabalho? Com as 10 dicas deste post, tenho a certeza que você vai conseguir!

Nos dias atuais, com o mercado de engenharia cada vez mais competitivo e dinâmico, as empresas exigem dos profissionais mais capacitação e habilidades para se destacar na profissão.

Por isso, para te dar “aquela ajudinha”, consultamos dois professores engenheiros para darem 10 dicas de como se destacar no mercado entre tantos outros profissionais que estão na mesma área de atuação.

Joel Valentini, professor do curso de pós graduação em Engenharia Civil da PUC Minas, aconselha o seguinte:

  • A Engenharia Civil passa por muitas crises. Quase sempre, na economia, é a primeira a ser atingida. Porém, também é a primeira a ser despertada. Como profissional, não desanime com esse momento, saiba como lidar e se destacar;
  • Continue se capacitando: as empresas estão em busca de profissionais que se destacam, por isso, apresentar diferenciais é fundamental. Nunca largue o banco da escola, procure se especializar através de pós-graduação, cursos. Quanto mais qualificado e preparado é o profissional, maiores são as chances de sucesso.
  • Networking: o networking nada mais é do que a rede de relações que você vai construindo ao longo de sua carreira. Por meio dela você pode conseguir parceiros, fornecedores, investidores, clientes, etc. Sem falar em como poderá promover o seu trabalho ou negócio próprio e conseguir importantes apoios. Compartilhar conhecimento é uma maneira eficiente de continuar aprendendo e se desenvolvendo.
  • Atualize-se sempre: é muito importante ficar de olho em tudo que acontece no mercado, para que você seja um profissional inovador. Busque trocar informações com outros colegas de profissão, atualizar-se com as novidades do mercado e aprimorar as tecnologias e técnicas atuais nas suas atividades do dia-a-dia.
  • Aperfeiçoar em outras línguas: foque em aprender novas línguas, como inglês, francês e espanhol. Isso é um diferencial na busca pelo emprego em grandes empresas.

Para Rodrigo Rabelo Bagno, Mestre em Gestão de Empreendimentos de Construção Civil, sócio da Planor Engenharia e Diretor de Engenharia da Construtora Atrium, as dicas mais importantes para se destacar no mercado de engenharia são:

  • Nada cai do céu! Corra atrás dos seus sonhos e faça por merecer para concretizá-los;
  • Tenha uma formação sólida. Ou seja: uma base teórica consolidada ao longo da graduação. Ela será utilizada nas tomadas de decisões;
  • Aprendizagem contínua. Nunca pare de estudar, seja através de cursos, livros, pesquisas, etc;
  • Tenha humildade para aprender. Todas os profissionais têm coisas boas e ruins. Absorva as coisas boas de cada um dos profissionais com os quais você trabalhar;
  • Trabalhe de forma colaborativa. Equipes com sinergia geram resultados melhores do que a soma do resultado individual de cada um dos membros;

E aqui vão mais algumas dicas da equipe da 90 para te ajudar a complementar a sua graduação:

  • Orçamento de obras;
  • BIM (Building Information Modeling);
  • Gestão de projetos;
  • Viabilidade de empreendimentos;
  • Incorporação de edifícios;
  • Desenvolva habilidades com softwares de gestão, como o ERP da 90Ti. Isso te ajudará muito na busca de um ótimo emprego!

Bom, este conteúdo fica por aqui. O nosso desejo é que ele seja de grande valia para você que ainda irá desbravar o mercado da engenharia. Até o próximo!

Incorporação imobiliária: a oportunidade da queda na taxa de juros

incorporação imobiliária

Investimento atrativo, mercado de incorporação imobiliária se beneficia com a baixa na taxa de juros. Contudo, preço da obra-prima puxa pra cima valores dos imóveis

A incorporação imobiliária é o conjunto de atividades voltadas a construir edificações ou grupos de edificações voltados para a alienação. Além da construção, a incorporação imobiliária também compreende a comercialização das unidades construídas, seja de forma parcial ou total.

Na incorporação imobiliária, os imóveis são vendidos na planta ou enquanto estão sendo construídos. Em 2020, no contexto de pandemia, em meio a incertezas para alguns setores, o mercado de incorporação cresceu com a queda na taxa de juros. Essa redução gera impactos na confiança do consumidor, no valor dos imóveis e na rentabilidade dos investidores.

Uma pesquisa divulgada pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), mostra que em maio os financiamentos para a compra e a construção de imóveis somaram R$ 7,13 bilhões no país. Isso representa um crescimento de 6,5% na comparação com abril e de 8,2% frente a maio de 2019.

Venda de imóveis

Em julho foram vendidos, nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima, 370 apartamentos novos. Uma alta de 16,7% em relação a igual mês do ano anterior (317). Esses dados são do Censo do Mercado Imobiliário, realizado pela Brain Consultoria para o Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon-MG).

Mesmo com a queda do PIB em 9,7% no segundo trimestre em relação aos três primeiros meses do ano, a indústria e o comércio varejista apresentaram um resultado positivo. Esses fatores, aliados ao baixo patamar da taxa de juros e ao incremento do financiamento imobiliário – com recursos da caderneta de poupança –  fortalecem as expectativas mais promissoras para o desempenho do mercado de imóveis novos.

Algo que preocupa os construtores e pode estar contribuindo para adiar os novos investimentos é o aumento nos custos dos materiais de construção civil. Produtos como cimento e aço estão com o preço elevado, prejudicando o andamento das obras e das atividades do segmento. Para o vice-presidente do Sinduscon-MG, Renato Michel, esse processo de expressiva alta dos insumos pode interromper o fortalecimento das atividades do setor num momento tão delicado como o que o País vivencia.

“Vivemos duas situações. Com a baixa na taxa de juros, observamos um crescimento da procura pelas pessoas por financiamento nos bancos. Em contrapartida, a elevação de preços de insumos e em alguns casos até o desabastecimento dos produtos podem interromper esse processo, gerando mais desemprego e um recuo ainda mais acentuado do que já é esperado para este ano”, afirma.

Confira outros conteúdos como este no nosso blog. E aproveite também para visitar o nosso Linkedin.

Até a próxima!

Mercado de engenharia civil para formandos: como se destacar?

mercado de engenharia

O mercado de engenharia tem crescido nos últimos anos. Atualização constante é fundamental para se destacar

A Construção Civil é um dos principais motores da economia, com capacidade para empregar milhões de trabalhadores em todo o Brasil. Em outubro de 2019, por exemplo, ocorreram 128.527 admissões na Construção Civil, conforme dados do Ministério do Trabalho. O mercado da Engenharia Civil é amplo em tamanho e diversidade. Para saber se você quer trabalhar nessa área é interessante conhecer as tendências do mercado e se preparar para o futuro.

O mercado da Engenharia já sofre os impactos das mudanças tecnológicas. Além disso, a sustentabilidade se tornou um tema central, tanto em relação aos empreendimentos prontos como ao uso de materiais e métodos de obra.

Como se preparar para a faculdade de engenharia civil?

Se você é estudante e tem o interesse de ser Engenheiro Civil, tenha em mente que é preciso se preparar e se especializar. Para se sobressair em meio a tantos profissionais que também estão buscando um espaço no mercado, não basta apenas ser fera nos cálculos e equações, é preciso conhecer os diferenciais mais buscados pelas empresas, desenvolver as competências necessárias e investir em uma formação superior que o prepare para encarar os desafios do mercado de trabalho.

A escolha de uma boa faculdade que seja reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC), o foco e a dedicação nos estudos durante o curso e uma posterior pós-graduação, com especialização de qualidade em uma das muitas áreas de atuação, são passos fundamentais para conquistar o sucesso na profissão.

Como se destacar no mercado de engenharia civil hoje?

Yndira Hanah Rodrigues, estudante de engenharia civil, tem a oportunidade de trabalhar com o que realmente gosta. Ela explica que ingressou na faculdade por aptidão. O diploma não garante emprego, o que garante é a atualização constante com novos cursos, softwares e processos. Yndira diz que se destacou por usar sempre uma “mochila carregada com conhecimento atualizados”.

Além disso, ela dá algumas dicas para os colegas que querem se sobressair: escolher a faculdade certa, buscar se aprofundar na área, desenvolver boas habilidades profissionais, ter experiência prática, fazer uma especialização, participar de eventos relevantes, ampliar sua rede de contatos e manter-se bem informado.

Áreas de atuação na engenharia civil

Dentre as engenharias, a Civil é um das que possui mais áreas de atuação. Engenheiros civis podem trabalhar nos meios mais tradicionais, como a elaboração de projetos de construção e/ou reforma e calcular dimensões e materiais. Paralelamente, também podem prestar consultoria para setores públicos, desenhar e criar fluxos de saneamento básico, podendo ainda serem absorvidos pelos setores industrial, de produção de energia, mineração, agronegócio etc.

Como está a engenharia civil no Brasil?

Aqui no Brasil a Engenharia Civil, após um crescimento acelerado, viu seu ritmo diminuído nos últimos anos, tornando-se um mercado cada vez mais disputado e competitivo. Porém, é importante se ter em mente que depois de algumas crises no mercado a tendência é de crescimento e boas oportunidades na carreira. Por isso, este é o momento certo para se qualificar e estar preparado para o futuro.

Gostou? Confira outros conteúdos como este no nosso blog. Até a próxima!

 

Construção Sustentável: tudo o que você precisa saber sobre o tema

construção sustentável

Redução de tempo, dinheiro e mão de obra. Confira os benefícios que a construção sustentável trouxe para o ramo da Engenharia

A construção civil é uma das áreas mais importante para o mercado econômico do nosso país. Assim como o Agronegócio, ela é responsável por movimentar consideravelmente o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Porém, nem tudo são flores quando se fala em construção de prédios, estádios, pontes, hospitais, etc. Inúmeros fatores podem impactar negativamente o meio ambiente nos quais as obras acontecem.

Por isso, na busca por evitar os impactos ambientais provocados pela construção, surgiu o termo construção sustentável.

Sobre esse conceito, podemos dizer que é uma maneira de construir casas e edifícios em conjunto com a natureza, com o mínimo impacto possível.

Atualmente, a sustentabilidade na construção une a harmonização socioambiental às tecnologias disponíveis no mercado a fim de aumentar o aproveitamento dos recursos, da mão de obra e do tempo.

Quando surgiu a ideia de Construção Sustentável?

A construção sustentável surgiu em 1970, após a crise do petróleo, amenizando a utilização de energia com novas formas de utilizá-la. Contudo, após o período da crise, o conceito evoluiu ainda mais. A partir de 1990, o termo sustentabilidade ganhou mais força junto aos órgãos internacionais e a procura por alternativas sustentáveis na construção civil acabou se intensificando.

E quais são os benefícios de uma construção sustentável?

  • Redução do consumo de energia;
  • Incentivos fiscais que são cada vez mais comuns para as práticas sustentáveis no segmento construtivo;
  • Redução do uso de matéria prima a custo elevado;
  • Redução na geração de resíduos sólidos
  • Agilidade na reciclagem e reutilização desses mesmos resíduos
  • Economia com os custos de manutenção do empreendimento
  • Facilitação da mão de obra, devido os materiais serem mais leves e menos nocivos
  • Maior agilidade de processos, considerando esta mão de obra facilitada
  • Aumento da produtividade na construção
  • Redução do impacto ambiental da construção sobre o meio ambiente
  • Redução do impacto ambiental da construção sobre as comunidades vizinhas;

 

Na construção Civil, para que um empreendimento seja considerado sustentável, ele precisa de selos ambientais (Certificações)  e os mais utilizados atualmente no Brasil são o LEED — que significa Leadership in Energy and Environmental Design e no qual o país ocupa o 4º lugar no ranking entre os países onde a certificação é aplicada; o AQUA-HQE, que funciona por meio da classificação e mensuração de seus desempenhos ambientais em diversas funções certificando as construções, entre outros, como o SELO CASA AZUL e o PROCEL EDIFICA.

A ajuda dos softwares no processo

O gerenciamento de obras correto do canteiro e das etapas de uma obra pode ser otimizado com o auxílio de softwares. Eles contribuem de maneira a economizar energia e recursos, já que com eles tudo pode ser feito da maneira mais eficiente e produtiva possível, sem desperdícios e retrabalhos.

Atualmente, há diversos softwares para smartphones e tablets que auxiliam na elaboração de projetos e no acompanhamento das obras. Tornando mais fácil e assertivo o cálculo da quantidade de materiais necessários, o tempo de construção, o controle dos insumos, entre outros fatores importantes.

Uma construção consciente e sustentável, além de evitar todos os prejuízos que uma obra normal traria ao meio ambiente, pode diminuir o custo final do projeto e até o seu tempo de conclusão.

Portanto, vimos que é possível fazer uma construção sustentável

 

6 cursos de aperfeiçoamento para o mercado de engenharia

cursos de aperfeiçoamento engenharia

Confira algumas dicas de cursos de aperfeiçoamento para você se atualizar

Ano após ano, o curso de Engenharia Civil permanece como um dos mais concorridos nas universidades brasileiras. Nos últimos cinco anos, a graduação esteve entre os mais buscados do país, sendo que em 2019 o curso ocupou o 4º lugar no ranking. A alta demanda pelo diploma de engenheiro é apontada por especialistas como uma consequência da versatilidade e das diversas oportunidades apresentadas pela profissão. Contudo, esse panorama faz com que os profissionais precisem fazer cursos de aperfeiçoamento para se manterem atualizados.

Se a disputa pela aprovação no vestibular de Engenharia Civil não é uma tarefa fácil, o desafio pós-vestibular também não se mostra manso. Por isso, para ingressar no mercado de trabalho e conquistar posições de destaque, o aprimoramento do currículo e a busca por cursos de aperfeiçoamento e novos conhecimentos é um diferencial.

Portanto, para ajudar você a se destacar cada vez mais em sua posição profissional, reunimos neste artigo algumas dicas para dominar bem as variáveis da profissão. Sem falar, é claro, em alguns cursos para engenheiros civis que encontramos para você. Confira!

A importância dos cursos de aperfeiçoamento para a Engenharia Civil 

Independentemente do seu setor de atuação, a profissionalização contínua é uma necessidade imposta pelo mercado de trabalho atual. Novos profissionais despontam todos os dias no cenário da engenharia, com ideias inovadoras e procedimentos modernos. Este cenário, muitas vezes, faz com que as vagas e cargos sejam nivelados pelo grau de conhecimento.

Consequentemente, todo engenheiro que não entender a busca pela especialização profissional como algo essencial, corre risco de estagnação. Além disso, fazemos parte de uma geração de profissionais mais versáteis e alinhados com as demandas do competitivo mercado de trabalho.

No caso do setor de Engenharia Civil, vale buscar uma especialização profunda, que englobe diversas áreas de atuação, principalmente porque o setor se relaciona com diferentes nichos — rodoviário, metroviário, aeroportuário ou mesmo portuário.

Confira lista de 6 cursos, totalmente ONLINE e GRATUITOS, para engenharia civil

1. Gestão de projetos

O curso de Princípios e Práticas da Gestão de Projetos, oferecido pela Universidade de São Paulo (USP) é uma boa opção para complementar aquilo que você já conhece a respeito da condução de um projeto sob a sua responsabilidade. Por isso são abordadas, principalmente, questões sobre inovação, num momento no qual o Brasil tem investido tanto em infraestrutura.

Além disso, um dos diferenciais deste curso está em diferenciar projetos de gestão tradicionais daqueles pautados pelas exigências, necessidades e objetivos atuais do mercado.

2. Conceitos e Características dos Projetos

Ainda no cenário da gestão de projetos, a FGV oferece o curso Conceitos e Características dos Projetos que apresenta o histórico e a evolução das metodologias e das práticas gerenciais em projetos. A ementa permite a análise das definições, como a inserção dos projetos na dimensão estratégica, e do seu papel como implementador de mudanças.

3. Empreendedorismo

A busca por um profissional empreendedor movimenta o mercado. Seja em pequenas ou grandes empresas, ou na busca da construção do próprio negócio, ser empreendedor é um diferencial do engenheiro atual. A nossa dica para aprimorar seu conhecimento no setor é o Curso de Empreendedorismo do SENAI, que tem por objetivo oferecer conhecimentos sobre a criação de novos empreendimentos nos mais diversos setores.

4. Fundamentos da Gestão de Custos

Este é um curso com curta duração (5 horas)aplicado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No curso de Fundamentos da Gestão de Custos, os profissionais centram a sua atenção na contabilidade de custos. Algo determinante para aprimorar o controle de gastos em qualquer empresa, estendendo o conceito e aplicações para o canteiro de obras e equipes.

5. Curso de Gestão e Gerenciamento de Obras

Promovido pelo Instituto Nacional de Ensino a Distância (INEAD), o curso de Gestão e Gerenciamento de Obras é on-line e gratuito, com 35 horas de conteúdo. Seu objetivo é apresentar e esmiuçar as etapas de orçamento e também do planejamento e controle de uma obra.

6. Orçamento e Planejamento de Obras

Orçamento e planejamento são duas palavras essenciais para qualquer negócio, em especial no ramo de engenharia. É por isso que o curso da ferramenta 90Compor para Orçamento e Planejamento de Obras da 90Ti é um dos destaques deste artigo. Com o 90Compor você poupa tempo e potencializa os ganhos no seu trabalho.

Ficou claro como o percurso pode parecer longo, mas se aprimorar é uma atividade fundamental que se mostra gratificante a cada nova conquista?

Agora, uma última dica: para que você possa conhecer outras novidades do seu setor de atuação, acesse o nosso LinkedIn e confira os nossos conteúdos. Certeza que eles vão te ajudar muito na sua jornada!

Até a próxima!

Revolução da engenharia e Revit: as novidades do software para a área

revolução da engenharia

Software ajudou na revolução da engenharia

Já imaginou a sua cidade sem um engenheiro civil? Nossas casas, prédios, estradas, fábricas, barragens para produção de energia elétrica, entre outras: a revolução da engenharia está em absolutamente tudo. Por este motivo, a engenharia foi uma das categorias que mais mudou com a revolução tecnológica.

A revolução da engenharia na história

A grande verdade é que o início da Engenharia Civil se confunde muito com a origem da própria civilização. Nesse tempo, o homem ainda dispunha de um conhecimento muito restrito de ferramentas e técnicas de construção, por isso, tanto os materiais como suas moradias eram as mais simples possíveis.

E assim veio a Idade Antiga com os metais; a Idade Média com o surgimento do artesão (predecessor do engenheiro civil); a Idade Moderna com a criação da Sociedade dos Engenheiros Civis e a Idade Contemporânea, na qual vemos o uso massivo de aço e concreto armado na construção civil, uma época em que as máquinas usadas nas obras precisaram ser inovadas e melhoradas para fazer com que a engenharia conseguisse acompanhar a velocidade com que a civilização crescia e demandava novas soluções.

Logo depois, foi desenvolvida a computação e junto a ela os softwares de CAD (Computer Aided Desing) e os sistemas de modelagem em 3D.  O primeiro software foi criado em 1960, como um programa que admitia que os usuários escrevessem uma exibição de ponteiro “xy” com uma caneta de luz. Posteriormente, em 1982, temos o lançamento do famoso AutoCAD, que aos poucos fez com que os antigos projetos nos papéis deixassem de existir.

Ao longo do tempo, vivenciamos várias revoluções que mexeram com a história e transformaram o modo como as pessoas viviam e se relacionavam. Agora estamos vivendo um novo momento revolucionário no século XXI, com as transformações que a inovação tecnológica tem provocado em nossa sociedade. A Revolução Digital está alterando a forma com que nos comunicamos, nos relacionamos socialmente, como estudamos, nos divertimos e especialmente como trabalhamos.

Novas soluções tecnológicas

Projetos que antes era complexos, executados com grandes esforços, planejamento de meses, mobilização de muitas pessoas, execução muitas vezes intuitiva e com pouco eficiência, hoje são realizados com o apoio eficaz de soluções tecnológicas que otimizam o tempo, reduzem custos e geram economia no gasto com materiais que antes eram desperdiçados.

Um dos exemplos de solução que tem transformado significativamente o setor da construção civil é o software Revit. Até 2002 ele era concorrente do AutoCad, quando foi comprado pela Autodesk e ambos passaram a ser fornecidos pela mesma empresa. Atualmente, o Revit é visto pela companhia como o futuro do desenvolvimento de soluções de construção e infraestrutura.

O que é o Revit?

O Revit nada mais é do que um programa criado para o público da arquitetura, urbanismo, engenharia e design. Ele tem a função de auxiliar engenheiros civis na elaboração dos projetos. Com ele é possível criar um projeto desde a sua parte estrutural à parte arquitetônica e também todos os sistemas complementares como hidráulica, elétrica e sistemas mecânicos.

Por abranger diversas áreas e possuir funções variadas, o software Revit possibilita a produção de projetos e documentação consistentes e muitos completos.

Revit é o mesmo que BIM (Building Information Model)?

BIM (Building Information Model), que significa modelo de informação de construção, nada mais é do que um conjunto de informações geradas e mantidas durante todo o ciclo de vida de um edifício.

O Revit não é BIM. O BIM é um método de modelagem e desenvolvimento e organização de projetos e o Revit é um software da Autodesk que utiliza esse sistema. Portanto, o Revit é um programa que permite a criação e modelos BIM.

Diante do crescimento da tecnologia que está cada vez mais sofisticada, fica a pergunta: como será o futuro da engenharia diante de tantos avanços tecnológicos? Quais novas tecnologias surgirão? Os homens serão substituídos pelas máquinas?

Ainda que essas perguntas somente sejam respondidas com o tempo, a empresa ou o profissional da área de engenharia não podem esperar as respostas aparecerem. Em suma, devem sempre investir e conhecer as novas tecnologias disponíveis para não ficarem obsoletos em um mercado em constante evolução. A revolução da engenharia já está entre nós.