Site icon 90 TI

Por que é importante fazer a análise de óleo dos equipamentos?

análise de óleo

Rotina de análise de óleo é primordial para manter a qualidade do maquinário em um canteiro de obras

Para manter seus equipamentos em dia, é preciso fazer a manutenção preditiva da análise de óleo. Por meio dela, é possível monitorar e avaliar as condições dos fluidos e dos equipamentos. Dessa forma, você melhora o desempenho e a confiabilidade dos ativos.

O que é manutenção preditiva?

É o acompanhamento periódico dos equipamentos ou máquinas, através de dados coletados por meio de monitoramentos ou inspeções. Com essa manutenção, é possível avaliar o tempo útil das máquinas e equipamentos e as condições para um melhor aproveitamento posterior.

Com a manutenção preditiva, é possível se antecipar à necessidade de desmontagem desnecessária do equipamento, além de reduzir as paradas de emergências e prolongar a vida útil deles.

O que é análise de óleo?

A análise de óleo permite que você melhore seu desempenho e a confiabilidade dos ativos por meio da identificação dos problemas antes que eles se tornem falhas.

Ao utilizar a análise de óleo, as empresas ganham muito com a ampliação da vida útil dos componentes, redução dos gastos com materiais de reposição, troca de óleo desnecessárias e a utilização de mão de obra em manutenções que não foram programadas.

Surgimento da análise de óleo

A análise de óleo como rotina de manutenção começou a ser aplicada na década de 50. A crise do petróleo intensificou a sua utilização, que passou a ser uma nova alternativa das empresas para avaliar as condições dos lubrificantes de suas máquinas e equipamentos.

Atualmente, com leis ambientais mais rigorosas, as medidas de manutenção relacionadas à utilização de óleo nas indústrias se tornaram mais duras, com implementação de estações de tratamento e métodos de descarte com reaproveitamento dos lubrificantes.

Como é feita essa análise?

Primeiro é preciso decidir em qual máquina será feito o procedimento de maneira periódica. Em seguida, é avaliado qual o material será utilizado para a coleta dos fluidos, assim como um relatório indicando os melhores procedimentos para correção. Quanto mais rápido for a coleta e a entrega do resultado melhor para a eficiência do estudo.

Existem quatro tipos de análise de óleo: físico-química, análise de contaminações, espectrometria e ferrografia.

Confira abaixo a explicação de cada uma delas:

  1. Análise físico-química: avalia as condições dos lubrificantes. É avaliado o teste de cores e de densidade, verificando possíveis mudanças na composição.
  2. Análise de contaminações: identifica a presença de substâncias que podem contaminar o sistema, como: água, poeira, partículas oriundas do desgaste, ar, etc.  O óleo pode ser contaminado por causa do desgaste do equipamento ou por reações químicas do lubrificante.
  3. Espectrometria: identifica a composição elementar das partículas nas amostras, já que o óleo passa por um processo de combustão e é desintegrado até o nível atômico. Esta análise é importante para obter informações mais precisas sobre desgastes, contaminações e identificar os aditivos.
  4. Ferrografia: avalia o desgaste dos elementos de um equipamento através da quantificação e da observação de partículas em suspensão presentes no óleo. Essa análise pode ser feita em três tipos de fluidos: diese, hidráulico e lubrificante.

Os benefícios da análise de óleo são: redução de custos com manutenção e estoque; antecipação de situações de riscos de falhas dos equipamentos; programação de intervenções e manutenções de peças e evitar paradas desnecessárias.

Para fazer uma coleta de óleo para análise é necessário que as amostras sejam armazenadas em seringas ou frascos de vidros. Devem ser preenchidas, etiquetadas e anexadas ao recipiente de coleta. O recolhimento não é indicado para dias com a umidade relativa do ar superior a 70%, nem em períodos noturnos.

Quais são as vantagens da análise de óleo para a construção?

Os equipamentos utilizados nos setores da construção podem ter sua vida útil estendida por meio de ações de manutenção preditiva com foco na análise de óleo. É de suma importância verificar a qualidade dos óleos utilizados nos equipamentos, pois isso permite identificar problemas antes que tornem-se graves.

A análise de óleo possibilita saber das condições físicas e químicas dos lubrificantes, sendo praticamente a única ferramenta que permite apontar falhas prematuras nos equipamentos. Consequentemente, isso gera uma redução de custos com manutenção.

A manutenção preditiva por meio da análise de óleo lubrificante demonstra que é possível potencializar o desempenho, a confiabilidade e a disponibilidade física dos equipamentos, identificando problemas, antes que os mesmos se tornem falhas.

Uma boa maneira de otimizar o tempo, economizar dinheiro e ter uma entrega assertiva é utilizar o 90 Compor Manutenção de Equipamentos. Com ele, você tem resultados eficientes sem gastos inesperados. Uma solução que permite ao gestor um controle efetivo da manutenção. Entre em contato com a gente e utilize já a melhor solução do mercado!

Sair da versão mobile