Produção de Equipe Mecânica: a nova rotina do 90 Compor Orçamento

produção de equipe mecânica

Rotina de cálculo de produção de equipe mecânica auxilia o trabalho dos engenheiros nos canteiros de obras

O 90 Compor Orçamento e Planejamento de Obras ganhou, na sua nova versão, uma rotina para cálculo de produção de equipe mecânica. Foi adotado um modelo teórico que pressupõe o conhecimento de diversas variáveis intervenientes para calcular a produção de maneira eficiente.

Essas variáveis são calculadas em função das características intrínsecas dos equipamentos utilizados em uma obra e da natureza dos serviços a serem executados.

A nova função de cálculo de produção da equipe mecânica foi disponibilizada em tela e variáveis, que foram adotadas pelo DNIT, onde é possível realizar alterações para que se chegue o mais próximo da realidade da empresa
e da eficiência da sua equipe.

Também é possível realizar a análise da memória de cálculo da produção da equipe através de relatório formatado conforme o padrão do DNIT, explica Natália Meireles, product owner na 90TI.

As composições de custo do DNIT, principalmente daqueles serviços que utilizam muitos equipamentos pesados, são elaborados em função da produção mecânica, agora presente no 90 Compor Orçamento.

E a produção da equipe mecânica, obviamente, é calculada em função da produção de cada equipamento que a compõe.

A produção das equipes mecânicas corresponde, normalmente, a de seu equipamento principal, ou líder da patrulha, o qual condiciona a atuação do conjunto de equipamentos, em função de suas diferentes
capacidades e produções.

A determinação da produção das equipes mecânicas constitui elemento fundamental para formação dos custos unitários dos serviços. O custo unitário de execução é a relação entre o custo horário de execução de determinado serviço e a produção calculada na mesma unidade de tempo.

A produção mecânica dos equipamentos pode ser determinada por métodos teóricos ou empíricos e que levam em consideração os seguintes fatores:

  • Informação de fabricantes;
  • Informações de catálogos dos equipamentos;
  • Experiência de profissionais;
  • Informações de aferições de produções de serviço no campo;
  • Critérios técnicos fundamentados em conceitos de engenharia.

Os métodos teóricos de cálculo de produção mecânica compreendem a utilização de fórmulas específicas por tipo de equipamento. As fórmulas consideram diversas variáveis intermitentes.

As principais variáveis intervenientes são:

  • capacidade;
  • velocidade;
  • tempo de ciclo;
  • consumos específicos;
  • espessura;
  • afastamento;
  • espaçamento;
  • profundidade;
  • fatores de correção, cuja finalidade é ajustar os resultados teóricos às condições reais em que os serviços são executados

O sistema do 90 Compor Orçamento e Planejamento de Obras utiliza esta metodologia para calcular a produção da equipe nas composições, atendendo assim as exigência do DNIT e outros órgãos em suas licitações. Entre em contato e utilize você também!

Análise de viabilidade da obra em 5 passos simples? Confira no blog da 90!

análise de viabilidade da obra

A elaboração de um plano de análise de viabilidade da obra garante que o serviço seja realizado com sucesso

O planejamento de uma obra é uma etapa importante para a construção e fundamental para o sucesso de um empreendimento. Ao executar uma obra é importante pensar na viabilidade de muitos processos: preço da mão de obra, materiais utilizados, equipamentos… Estes, quando planejados corretamente, conferem qualidade aos processos e, sobretudo, agregam valor às unidades habitacionais.

Além do planejamento, na construção civil é importante que o passo a passo de uma obra seja prioridade para os gestores. Quando executado em equipe, o trabalho flui melhor e as entregas são feitas com melhor qualidade.

Por que investir em planejamento de obras?

O mercado atual exige da construção civil abordagens atualizadas e eficientes no controle do mapeamento de suas obras. Conheça, então, alguns benefícios da análise de viabilidade de obra:

– Otimizar o funcionamento da obra;
– Aumenta a produtividade da equipe;
– Reduz gastos e desperdícios;
– Promove a satisfação dos clientes.

Quais são os passos para a análise correta de uma obra?

1) Planejamento

O planejamento, na Construção Civil, exige a organização para a execução, incluindo a elaboração do orçamento e a programação da obra. Existem três tipos básicos de planejamento: curto, médio e longo prazo.

No planejamento a longo prazo é possível evitar contratempos na execução da obra e evitar os problemas financeiros. Nele, conseguimos observar o melhor custo benefício da obra. No médio prazo, é menos possível prever possíveis problemas na construção. Já no curto prazo, é preciso seguir um plano mensal, semanal ou diário, para garantir o andamento da obra.

2) Análise da viabilidade econômica

Um dos passos mais importantes na execução de uma obra é a análise da viabilidade econômica do empreendimento. Antes de começar, é preciso saber qual o montante exato que será investido, bem como identificar
as variáveis que podem influenciar a viabilidade em estudo. Veja, a seguir, algumas informações que devem ser consideradas na etapa de avaliação:

  • Custos com os projetos (estrutural, arquitetônicos e instalações);
  • Lista de materiais e ferramentas que serão comprados;
  • Custo de contratação de mão de obra especializada e terceirizada;
  • Custo de cada uma das etapas (fundação, alvenaria, acabamentos,
    etc);
  • Custo com licenciamento e regularização;
  • Cronograma da obra;
  • Benefícios e Despesas indiretas;
  • Retorno sobre o investimento.

3) Orçamento da obra

O cálculo da estimativa da execução de um empreendimento deve ser feito tanto por planilha no Excel ou com a utilização dos softwares e tecnologias especializadas.

Para que o orçamento seja viável, é importante que o orçamentista conheça domine alguns aspectos.  Entre eles: o consumo de materiais em cada serviço, a quantidade de mão de obra, as leis trabalhistas sobre o custo da mão de obra, o tempo de uso dos equipamentos, os custos financeiros decorrentes, os custos
administrativos (indiretos) e a carga tributária que irá pesar sobre os serviços.

4) Cronograma da obra

Um cronograma ideal é capaz de mostrar por onde se deve começar cada uma das etapas, além da ordem de execução e conclusão dos serviços. Dessa maneira, torna-se viável identificar os pontos que merecem maior atenção e serviços, ou necessitam de profissionais qualificados e especializados.

5) Regularização

É importante que o empreendimento seja regularizado. O procedimento é cheio de burocracias e, se não for feito com antecedência, pode atrasar o início das obras e gerar custos extras. É fundamental prestar atenção a alguns pontos para a regularização. Anote:

– Matrícula do imóvel;
– Projeto Arquitetônico;
– Alvará de Construção;
– ART (Anotação de Responsabilidade Técnica);
– CND (Certidão Negativa de débito);
– AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros);
– Habite-se;
– Registro do imóvel.

Fazer um planejamento de viabilidade econômica de obras é essencial para saber o que esperar durante e após a finalização da obra. Ele deve ser aplicado aos construtores e incorporadores que buscam maximizar os resultados de um empreendimento.

O 90 Compor Orçamento e Planejamento de Obras pode te auxiliar em todas as etapas de viabilidade de uma obra. Clique no link e veja todos os benefícios que o nosso sistema pode oferecer!