O que é a Curva ABC e como utilizá-la para melhorar o controle do seu estoque

No universo complexo da gestão de estoques, a eficiência é a chave para o sucesso operacional. Nesse contexto, a Curva ABC emerge como uma ferramenta valiosa para aprimorar o controle e a eficácia na administração de estoques. Vamos explorar o que é essa metodologia e como sua aplicação pode otimizar a logística, especialmente no setor da construção civil.

O que é a Curva ABC

A Curva ABC, também conhecida como Análise ABC ou Princípio 80/20, é uma metodologia de categorização e priorização de itens que desempenha um papel fundamental na gestão eficiente de estoques. Esta abordagem classifica os itens com base em sua importância relativa, destacando a concentração de valor ou impacto em determinado conjunto de dados, como vendas, volume de produção ou consumo.

A essência da Curva ABC reside no reconhecimento do Princípio de Pareto, o qual afirma que, frequentemente, uma pequena porcentagem de elementos contribui significativamente para o resultado total. Na prática da Curva ABC, isso se traduz na categorização de itens em três grupos distintos: A, B e C.

  • Categoria A: representa uma pequena parcela de itens, porém, esses itens geralmente contribuem com a maior parte do valor ou impacto total. Em termos práticos, esses são os produtos, materiais ou insumos mais importantes para as operações.
  • Categoria B: consiste em itens moderadamente significativos, ocupando uma posição intermediária em termos de valor ou impacto. Embora não sejam tão críticos quanto os da Categoria A, ainda desempenham um papel essencial na operação geral.
  • Categoria C: inclui a maioria dos itens, mas, individualmente, eles contribuem com uma parte relativamente pequena do valor total. São itens de menor importância, cuja gestão pode demandar menos recursos comparado às categorias A e B.

Qual o conceito dessa metodologia e o Princípio de Pareto

A metodologia ABC opera com base no Princípio de Pareto, onde uma pequena parcela de itens (categoria A) geralmente representa a maior parte do valor ou impacto total. Isso permite focar os esforços nos itens mais cruciais, maximizando a gestão e reduzindo custos desnecessários.

Ao compreender quais itens têm maior relevância, as organizações podem direcionar recursos de forma mais eficaz, concentrando esforços onde é mais necessário. Essa abordagem é particularmente crucial em setores como a logística, onde a gestão eficiente de estoques desempenha um papel fundamental na eficiência operacional.

A importância da Curva ABC para o controle logístico do estoque na construção civil

A complexidade inerente aos projetos de construção civil, muitas vezes envolvendo uma vasta gama de materiais, demanda uma abordagem precisa para a gestão de estoques. A Curva ABC se destaca ao proporcionar uma visão clara da distribuição de valor entre esses materiais, permitindo que as empresas identifiquem e priorizem os itens de forma estratégica para suas operações.

Por exemplo: em uma obra, a Categoria A da Curva ABC pode incluir materiais de construção específicos ou equipamentos essenciais. Ao concentrar a atenção nesses itens, as empresas podem garantir uma disponibilidade adequada, evitando atrasos significativos na obra. Isso se alinha perfeitamente à natureza do setor, onde a pontualidade na entrega de materiais desempenha um papel  de vital importância.

A Categoria B, composta por itens de importância moderada, permite uma gestão mais equilibrada. Embora não tão críticos quanto os da Categoria A, esses itens ainda exercem impacto substancial na eficiência operacional. Uma gestão eficaz desses materiais pode resultar em otimizações significativas nos processos construtivos.

Já a Categoria C, abrangendo a maioria dos itens, proporciona uma visão abrangente do estoque. Embora individualmente menos significativos, a gestão eficiente desses itens é fundamental para evitar desperdícios e manter a operação fluida.

Além disso, ao compreender a importância relativa dos materiais, as empresas podem alocar recursos de forma inteligente, implementar práticas de reabastecimento mais eficazes e antecipar as demandas do projeto.

Quando a Curva ABC pode ser utilizada

A aplicação da Curva ABC não é restrita a um setor específico; sua versatilidade a torna uma ferramenta valiosa em diversos contextos empresariais.  Ela é especialmente eficaz em situações onde a concentração de valor está em poucos itens, permitindo uma alocação eficiente de recursos. Citaremos alguns exemplos a seguir:

1. Gestão de estoque em varejo

No setor varejista, a Curva ABC pode ser aplicada para categorizar produtos com base em suas vendas. Itens de alta demanda (Categoria A) podem receber maior visibilidade e espaço nas prateleiras, enquanto produtos de menor movimento (Categoria C) podem ser gerenciados de maneira mais eficiente.

2. Indústria manufatureira

Em ambientes de produção, a Curva ABC pode ser útil para priorizar a produção de componentes críticos (Categoria A), otimizando a linha de montagem e minimizando a possibilidade de interrupções na cadeia produtiva.

3. Logística e transporte

Na gestão de frotas e logística, o conceito pode ser empregado para classificar os destinos de entrega com base na frequência ou volume. Isso permite uma alocação eficiente de recursos, garantindo que os locais mais críticos sejam atendidos de maneira prioritária.

4. Setor financeiro 

Em instituições financeiras, a Curva ABC pode ser utilizada para segmentar clientes com base em seus investimentos ou volume de transações. Isso ajuda a focar nos esforços de atendimento e personalizar estratégias para clientes de maior relevância.

5. Saúde e farmacêutica

Na área da saúde, a estratégia pode ser aplicada para gerenciar o estoque de medicamentos, priorizando aqueles de maior demanda ou essenciais para tratamentos críticos das medicações sazonais.

6. Construção civil

Como destacado anteriormente, na construção civil a Curva ABC é instrumental para priorizar a gestão de materiais, garantindo que os itens mais cruciais estejam sempre disponíveis, evitando atrasos em projetos.

7. E-commerce

Empresas que operam no ambiente online podem utilizar a Curva ABC para priorizar produtos em seu catálogo, destacando aqueles mais relevantes para os clientes e otimizando a gestão de inventário.

Quando implementar a Curva ABC:

  • Regularmente atualizada: a Curva ABC deve ser revisitada e atualizada regularmente para refletir não só as mudanças nas demandas do mercado, mas também nas operações da empresa.
  • Em processos de reestruturação: durante períodos de reestruturação ou expansão, a Curva ABC pode orientar a realocação de recursos para áreas mais críticas e estratégicas.
  • Ao introduzir novos produtos ou serviços: a implementação da estrutura é valiosa ao introduzir novos produtos ou serviços, garantindo uma alocação eficiente de recursos desde o início.

Como realizar o cálculo para análise da Curva

A análise da Curva ABC implica a categorização de itens com base em critérios específicos, como valor monetário, volume de vendas ou impacto nas operações. A realização eficaz desses cálculos é vital para extrair insights estratégicos e aprimorar a gestão de estoques. Vamos explorar o processo detalhado para realizar a análise:

  • Coleta de dados:

    • Inicialmente, é necessário reunir dados relevantes sobre os itens em estoque, como custo, volume de vendas, ou qualquer outro indicador que seja relevante para a operação.
  • Ordenação dos itens:

    • Os itens são então ordenados de forma decrescente com base no critério escolhido. Por exemplo, se estivermos considerando o valor monetário, os itens seriam ordenados do que vale mais para o que vale menos.
  • Cálculo cumulativo:

    • A próxima etapa envolve calcular a porcentagem acumulada do total. Isso é feito somando as porcentagens individuais de cada item ao longo da lista ordenada. A fórmula é simples: Porcentagem Acumulada = (Valor do Item / Total) x 100.
  • Identificação das categorias:

    • Com a porcentagem acumulada em mãos, os itens são categorizados de acordo com critérios predefinidos. Por exemplo, os primeiros 80% podem ser designados como Categoria A, os seguintes 15% como Categoria B, e os últimos 5% como Categoria C, seguindo a lógica do Princípio de Pareto.
  • Visualização gráfica:

    • A análise da Curva ABC muitas vezes é apresentada graficamente, com um gráfico de barras ou um gráfico de linha, onde o eixo horizontal representa os itens ordenados e o eixo vertical mostra a porcentagem acumulada.
  • Monitoramento contínuo:

    • A análise da Curva ABC não é um processo estático. Deve ser atualizada regularmente para refletir mudanças nas demandas do mercado e nas operações da empresa. Isso assegura que as estratégias de gestão de estoque estejam sempre alinhadas com a realidade atual.

Exemplo Prático:

Suponhamos que estamos analisando o estoque de um campo de obras. O gestor da obra realizou o pedido de 200 ferramentas que tinham queimado, entre elas furadeiras, brocas e serras circulares. Porém ele teve que mudar de fornecedor, pois com a marca X ele conseguiu um lucro de 80 mil na última compra de estoque que precisou fazer. Dessa forma, com base no valor da última compra calculamos (80×100) / 200 = 40%. Os produtos mais valiosos (40% do valor total) seriam da Categoria A, os seguintes em importância (40% do valor total) seriam da Categoria B, e os menos significativos (20% do valor total) seriam da Categoria C.

Quais os benefícios do uso da curva ABC?

Até aqui, já deu para perceber que a Curva ABC representa um impacto muito positivo na elaboração do orçamento da obra, que passa por várias etapas, não é mesmo? Uma delas, como vimos, é a execução de um coerente roteiro de orçamentos, que facilitará o planejamento, a execução e a economia dos gastos da obra. 

Listamos abaixo outros pontos importantes sobre essa ferramenta para o seu trabalho:

  • Identifica os insumos que exigem controle mais rígido;
  • Reconhece os materiais e serviços mais caros que serão negociados com fornecedores para obter descontos importantes;
  • Facilita a distribuição de responsabilidades entre as pessoas da empresa, simplificando o controle dos processos e a agilidade na execução das tarefas;
  • Garante aos gestores uma visão geral de onde está o impacto financeiro nas aquisições e os desperdícios mais críticos para tomadas de decisão;
  • Centraliza o controle das informações, evitando planilhas paralelas;
  • Reduz os custos com materiais, equipamentos e serviços, barateando os projetos de construção.

Em linhas gerais, a Curva ABC pode ser uma grande aliada para estabelecer um orçamento seguro e realista. 

Em um cenário competitivo, a metodologia se destaca como uma ferramenta valiosa para aprimorar o controle do estoque na construção civil. Ao compreendê-la e aplicá-la de forma estratégica, as empresas podem alcançar uma gestão mais eficiente, reduzindo custos, otimizando processos logísticos e garantindo a disponibilidade dos itens essenciais. 

A 90TI possui uma solução completa para planejamento e controle de obras que permite a análise de curvas ABC de serviço e insumos. Tome decisões mais inteligentes com base em seus orçamentos e tenha melhor controle de planejamento da sua obra. Entre em contato com nossos especialistas para saber mais.